Alemanha se tornou líder em energia solar per capita

Fribourg-img2
Projeto Energiewende, Alemanha

O País é visto como um exemplo nas políticas de incentivos eficientes para o uso da energia renovável, promovendo assim resultados essenciais para o desenvolvimento da energia solar no País e no mundo. Atualmente a população alemã encara diversos desafios para abandonar o carvão e as usinas nucleares, algo que tem ajudado a superar esse processo está sendo o uso da energia solar.

Desde o ano 2000 o governo oferece um auxílio para quem instala as placas solares. O habitante que faz isso gera sua própria eletricidade e vende o excedente para os vizinhos. Esse método faz parte de um projeto chamado Energiewende, que em português significa guinada da energia.  Essa ação do governo é um investimento para reduzir as emissões de gases prejudiciais ao planeta. O projeto ajudou o País a aumentar mais de 300 vezes sua geração de energia solar nos últimos 11 anos e a se tornar líder global.

Atualmente o País detém 13,4% das placas fotovoltaicas em operação no mundo totalizando 41.2GWp. No dia 08 de maio deste ano, a Alemanha bateu um recorde e produziu 95% da sua demanda de energia partir de fontes renováveis. Um grande feito para um dos países mais desenvolvidos e industrializados do mundo.

A Energiewende também pretende desligar reatores nucleares que somam 22 mil megawatts de energia. A ideia do projeto é fechar as usinas mais antigas e com menos vida útil. Algumas empresas optaram por se atualizar no mercado investindo em diferentes fontes de energia. E em outros casos, as empresas decidiram fechar as portas.

A Alemanha tem forte intenção de realizar uma profunda transformação em suas fontes de energia, investindo e incentivando a população a migrarem para energias renováveis, excluindo de vez as fontes fósseis. O governo alemão escolheu abandonar a energia nuclear depois do acidente no reator nuclear de Fukushima, em 2011, no Japão.

Fonte: Portal Solar

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *